terça-feira, outubro 17, 2006

DURA LEX …OU REGABOFE ….?


Assisti com muito interesse ao programa «Prós e Contras» que ontem tinha um especial atractivo ,pois contava com a presença do Presidente da Câmara da «TERRA DA LAMPADA».Aladino tinha,por isso, que estar atento e não perdeu pitada do match de «WRESTLING Politico» .Sim, porque aquilo é um faz de conta …

E desde já uma estranha confissão : torci para que o dito Presidente desempenhasse bem o seu ingrato papel. O meu sentido de família comunitária, sobrepôs-se à racionalidade .

Mas vamos lá ao programa .

De um lado uma «alcateia» de perdulários que única e exclusivamente encontram motivos para irem contra uma Lei, porque esta visa –sejamos claros e deixemo-nos de patetices –limitar-lhe o insaciável despesismo sem controlo com que pensam ganhar os votos ,e, assim, eternizar-se no poder.

Do outro lado um ministro com ideias claramente arrumadas ,fulgurantemente inteligente ,navegador exímio conhecedor de todos os meandros do dossier ,frontal quanto baste , que tinha por missão desviar a atenção da plateia de casa para a finalidade ultima da lei -o controlo -,utilizando para tal algumas justificações de solidariedade distributiva ,de que eu duvido .

Quanto ao autarca da «Terra da Lâmpada» , direi que foi ele mesmo. Nesse ponto não fingiu : falando em torrente expressiva, de tudo e de nada, dissertando ..dissertando …sem qualquer concretização factual . O erro - admito-o com pena -, foi julgar estar frente á habitual plateia de amorfos que o aplaudem sem saber, afinal ,o que verdadeiramente queria dizer .E por isso foram merecidas, justas, e devem –lhe ter doido, as palavras :“o senhor falou …falou …mas nada concretizou ou provou”.
Falou por gozo de falar …muitooo ! .O habitual .Sempre
E depois quando entrou no branqueamento dos «mestres de obras, patos bravos » a que reduz (em) a sua função de autarca , aí foi confrangedor ao glorificar «o alcatrão e o betão ».

Bom foi que Saldanha Sanches –por vezes desajeitado e imprudente – não tenha antecipadamente sabido que o autarca pesporrento da Terra da Lâmpada :

1) Recebeu há nove anos uma câmara sem dividas, e até – pasme-se - com 500.000 contos !...em saldo bancário (um erro claro …)
2) E que passado este breve trecho, a divida da Câmara já vai em 5.000.000–CINCO- Milhões de contos.
3) E gastos em quê ?
Certamente em duas ou três obras com sentido :saneamento ,rede escolar ,acessos .Quanto a equipamentos? ( todos delineados em fase anterior á sua Gerência ), foi delirante e errático . Inconsciente .Hiperbólico ,pois não adequou os meios aos fins (Museu ,Centro Cultural ,« política do põe abaixo e bota acima» etc etc )

------------------------------------------------------------------------------------------------
Mas …eu ontem desculpei tudo …pois desejei-lhe de todo o meu intimo que fosse o melhor .Eu queria lá saber dos autarcas do Freixo ,da Merdeleja ou outra :o que eu queria é que o publico do País soubesse que esta terrinha era importante e referência obrigatória ,quanto mais não fosse pela «desempenho» do autarca .Ontem, para assistir ao «combate» equipei-me a rigor ;com barrete e tudo … fui um incondicional da claque .Que merecia écran panorâmico no Largo. A “bem de Ílhavo e da cultura” :
Hoje, passado o desalento ,tenho a impressão que quando se falar da Terra da Lâmpada se dirá :-“Ah !..já sei; daquela terra de facécios hiperbólicos que desafiam provar a quadratura do circulo , não lhe sabendo definir os cantos “.
Triste foi quando quis terçar armas sobre a sua ufana «legitimidade»; aí levou uma lição sobre a petulância caricata em se auto intitular- num desinspirado e despropositado verbo- um pseudo detentor da verdade e seu assumido oráculo . .Até a mim me doeu o atestado de delírio que lhe foi de imediato outorgado ao afirmar, que a «legitimidade » dos autarcas advém dos eleitores - e pensa ser até mais virtuosa que a do Governo –pois que nas eleições autárquicas –disse “aqueles sabem na Câmara em quem votam” , ao contrário do Governo onde só sabem quem" vai ser primeiro Ministro" .Oh ! -espanto :então os que votaram nele sabiam lá quem iriam ser os seus vereadores ?A única coisa que sabiam era que teriam de ser amorfos ,sem coluna vertebral , cinzentões a cair para o negro !....

---------------------------------------------------------------------------------------------
E quando se queixa de que “com a nova Lei os autarcas só saberão,no Orçamento do ano anterior , o que poderão gastar no ano seguinte” ,sempre será (muito) melhor que o método que localmente utiliza para distribuição das «suas» piedosas dádivas -sim porque ele pensa que são mesmo suas - concedidas ás Associações ,esmolas que mudam ao sabor do «colorido das camisolas» ,do grau de incomodo que lhe causam e /ou da irritação que lhe criam os menos subservientes .A questão aqui – localmente -, é que é muito grave.Com contornos de um certo grau de «corrupção ética activa» .Nem Lei existe; só e apenas, poder discricionário para gastar o dinheiro de todos nós .E de que, por vias disso, obrigatoriamente teria de prestar contas E que ou muito me engano, ou ainda as terá de prestar . .O que a «alcateia » não quer .Eles não querem Leis nenhumas .É pena que a cegueira desta «alcateia» a impeça de saber lutar pela dignidade da prática cívica .A defender-se assim - deste modo despudorado - ,atola-se .Pretenderem ( os lobos) viver e afirmarem-se em plebiscitos ao capuchinho (rosa ou laranja ,entenda-se ) viciados por promessas que depois não cumprem ou que ,quando cumpridas, são megalómanas ,é contentarem-se com a vã glória de se serem dirigentes de um rebanho de amorfos .E prontos «aguçam os dentes e lambem os beiços …»

-----------------------------------------------------------------------------------------------
Comecei o desafio a pensar na vitória. Cheguei ao fim vergado pela derrota ,o que era o menos; estou habituado ao Belenenses e nem por isso, deixo de o ser .
Continuo na mesma um «ílhavo» por opção …não por tradição .
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Mas lá que saí envergonhado do desempenho …lá isso não o posso calar .
E dei comigo, na «Terra da Lâmpada» a acenar o lenço branco …
Que disparate …
------------------------------------------------------------------------------------------------
Era fácil ao Sr Ministro ter razão . No fundo eles sabem que nós sabemos que eles não sabem estar ou viver numa democracia responsável .Há excepções, claro .Mas essas não estavam ali .Esses, sabem que um homem que sabe não se preocupa com ideias dos que não sabem ,e ,mas mais grave, não querem saber .

Nem tudo na Lei me parece correcto .E o sr Ministro deve saber isso .E não deve fingir que o não sabe .Porque há que fugir ao paternalismo politico .Por isso, há que fazer uma boa Lei .Aí estou inteiramente de acordo com Prof. Saldanha Sanches.

Mas como diria o diácono «Remédios» : Oh xenhor Profexor !.aquela da corrupção generalizada …não havia «nexexidade dixo» Valha-nos Deus …São muitos os tentados ;mas nem todos escolhidos …Vá..vá ..vá lá…

Neste caso o que parece …talvez não seja …;quero crer com a minha costumada complacência .
Ou será que Diógenes tem andado com a bruxuleante LÂMPADA e não tem encontrado coisa que o valha ?!


"TERRA DA LAMPADA"

ALADINO



ALADINO