quarta-feira, setembro 20, 2006



NOVA IDEOLOGIA …PRECISA-SE…

È URGENTE ENCONTRAR NOVO CAMINHO…




Por mais que queiramos o tempo tem o «maldade» irreversível de se esgotar, e de não esperar por nós .

Por isso , vivendo no momento o «chamado período de trabalho de parto» - aquele onde dou os últimos retoques a dois trabalhos que irão, para a semana, para impressão - ,tenha deixado para trás algumas coisas interessantes -pelo menos para mim –para se verterem para o Blog

Vamos lá …


É sempre um prazer tem com quem conversar e muito mais com quem esteja disposto(a) a ouvir falar de coisas que fogem ao comum das conversas de circunstância .Do futebol incluído …

:-«Então pensas que não há remédio» …atirou-me ás tantas…

Penso –respondi - que ,…de facto…., não …não há !…Ou melhor :- não haverá se não encontrarmos uma nova ideologia que nos crie uma nova ambição .Qual seja …é que não atino ….E continuei :

Sabes …,
Descobrimos que o sistema comunista era um embuste ; muito tarde ….
Curiosamente eu tinha-o descoberto uma dezena de anos antes da queda do muro .Tinha-o descoberto logo ao primeiro contacto. Foi bom que o tivesse feito por mim. Assim ,não fui dos últimos a saber .Valha-me ,ao menos ,isso . Constatei que nada de aproveitável continha em si .E sob o ponto de vista social era claramente um embuste :nem igualdade nem sequer iguais oportunidades de acesso . A ideologia existia no papel; no concreto a prática contrariava tudo quanto os teóricos tinham , anteriormente ,sonhado poder ser.


Mas o grave foi a constatação de que o Capitalismo logo que escancaradas as portas da realidade comunista –sem adversário -, aguçou de imediato as suas garras; e de um capitalismo com rosto –já de si claramente conduzindo ao inevitável - tinha-se transformado no feroz capitalismo sem rosto e sem fronteiras .A Globalização tinha sido posta ao seu serviço para prover o trabalho de um numero cada vez maior, em beneficio de um numero cada vez menor . Ou que, talvez em boa verdade, não fosse um numero menor em si mesmo , mas proporcionalmente menor .O sujeito da exploração aumentou hiperbolicamente . E hoje quem trabalha ,não raro nem sequer sabe -sequer - para quem o faz ; melhor dizendo ,sem saber quem é que se está a engordar .O que parecendo indiferente, não o é ,de todo.

Claro que hoje reconhece-se que a globalização é autofágica . Quando se partiu para ela pensou-se que se desenvolveria dentro de determinados parâmetros e regras .Mas a sociedade da informação trouxe-lhe uma velocidade de crescimento incontrolável .E não se descortina para já - como e por quem - será controlada .E se não for controlada é o fim :- rematei…

A esta questão outra complexa vem toldar de nuvens negras as expectativas .È a questão religiosa .
Jesus Cristo - Humano e nada mais do que isso - para impor uma ideologia – fraterna , em favor dos mais carenciados , dos desprotegidos –teve de associar a mesma ao conceito divino ,uma espécie de guardião de consciências de todas as horas que deixava para depois a retribuição do bem praticado, cá por baixo .E permitia «suportar a infelicidade neste mundo» ,ainda que com um certo masoquismo .Com esta associação conseguiu ultrapassar o poder dos «Césares» . Mas rapidamente a fé mergulhou nas trevas com os « ayatollas da idade média» que evocando -em vão !-o nome de Deus, pretenderam , tão só, colocar o poder da Igreja acima do secular .Foram precisos Séculos para que o poder temporal remetesse a Igreja Católica ao seu verdadeiro lugar ….E hoje não é fácil saber em que mãos pára o poder da mesma .

O mal é que os seguidores de Maomé -afinal bem perto e bem longe dos seguidores de Cristo – «se», se deixaram apagar como civilização , resistiram, exacerbando toda a patologia religiosa fanática .E, facilmente distorcendo o Corão com interpretações á la lettre mantêm a ideia de que a religião deve conduzir, e ou confundir-se, com a politica das nações ; e têm ainda na ideia, que vai ser tempo de ajustar contas com os dissidentes do profeta. Grupos poderosos –mesmo que não terroristas - mantém a expectativa da JIHAD. MENOR, desvirtuando a causa Islâmica, para a tornar um factor de actividade politica em proveito próprio .

Ontem a inquisição ; amanhã a depuração .Ontem a cruzada , amanhã a jihad e as onze mil virgens (ver Blog ).Restam, pois, poucas veredas ao homem livre por onde caminhar , no convencimento de que os códices, esses, estarão no conhecimento cientifico que era suposto fazer abrir os olhos aos« incréus» da sua maravilhosa evolução .


Nova ideologia .Precisa-se … Que determine a supremacia do homem sobre todas as forças ocultas –longínquas ou perto – e estabeleça ,que a diferença -produto de um estado de evolução inferior - poderá tender para o limite Zero .

Precisa-se …mas não se descortina .

Voltaremos ao assunto

Aladino