sexta-feira, maio 13, 2005

PERGUNTAR , OFENDE ?....


SE….


Um dia Te mostrassem como era – ERA ! , porque nunca o será jamais naquelas condições - nebuloso ,propositadamente opaco , de contornos insensatos que tornavam inexplicável, á luz da inteligência ,o envolvimento escandaloso de responsáveis Autárquicos no famigerado processo IMOBILIÁRIO DA BARRA , ora dito da MARINA …?...


Se….

um dia pudesses observar que no referido processo se advinhava, profusamente ilustrado, o famigerado tráfico de influências envolvendo gradas e altas figuras da Politica Nacional e do Poder Financeiro…,numa mistura explosiva da politica Partidária com o mundo Financeiro?...

Se…

um dia pudesses dar conta que se procurava com tal despautério locupletar ao erário público MILHARES DE MILHÕES de EUROS, para entregá-los de mão beijada a privados ,onde se incluiriam figuras da cena Politica Internacional de paísesde expressão portuguesa ,num claro intuito de lavagem de capitais subtraídos a povos indefesos que vivem no limiar da pobreza?….

Se…
um dia Te mostrassem como foram " procedimentos" administrativos ilícitos, e como para os concretizar haveria disponibilidade para se hipotecarem direitos e interesses Associativos de utilização públicos…?...

Se….

um dia pudesses apreciar com lucidez despida de preconceitos, com se pretendia« roubar» á Ria uma área equivalente a VINTE ESTÁDIOS DE FUTEBOL…e permitir utilizá-la para uma exploração imobiliária desenfreada, que reverteria para apenas e só «uns poucos », trocos incluídos…?...


SE….

um dia tudo isto, mas tudo! , – por hipótese ,nota !- estivesse patente aos TEUS olhos ,caro conterrâneo ?...,

QUE DIRIAS?
- Desculpa-me ; deixa-me adivinhar :
Sabes o que eu penso que TU dirias:


“Que me interessa isso , eu nem sei nadar…”

Este é o limiar de ausência de princípios cívicos a que fomos conduzidos - e nos deixámos - chegar. Perdemos tudo , até a incapacidade de nos indignarmos individualmente ,quanto mais colectivamente .

Valerá a pena procurar a verdade, ou será melhor viver na ignorância?...

A resposta pertence-TE…

ALADINO