sábado, novembro 06, 2004

O POPULISMO dos novos tempos...

O CACIQUISMO DE HOJE.....


Uma das mais preocupantes porque nefasta degenerescência da Sociedade pós 25 de Abril, é –e vai sê-lo ainda durante algum tempo- ,o Populismo que se instalou em todos os níveis da actividade política –do poder central ao nível inferior do poder local trazendo-nos uma vez mais , mas agora servido por mais refinados meios, o caciquismo .Um novo mas não muito diferente caciquismo da época conturbada da transição monárquica para o regime republicano do dealbar do século xx

A época do bacalhau a pataco... .

Ocorre que o caciquismo populista expressa-se de uma maneira perturbadora , mais frequentemente ao nível local do que a nível do poder central .. E sustenta-se ,e ou sustém-se ,tão mais fortemente quanto maior é o atraso social e cultural da sociedade visada .no pressuposto da incapacidade de análise da mesma , obliturada e cega para o exercício de uma racionalidade individual activa.

O caciquismo populista (no Poder Local) é para a democracia, a negação absoluta do equilíbrio com que se pretendeu dotar o sistema no pós revolução, ao consagrar-se um poder emergente por via única dos partidos , teoricamente capaz (?!) de integrar e absorver toda a sociedade civil , mesmo a apartidária .
O conhecimento próximo dos eleitos –pensaram certamente os arquétipos do regime do Poder Local -, seria suficiente para se opor aos abusos dos meios de subversão da racionalidade da escolha , expressa através de votos inconscientes e ou constrangidos, manipulados , em vez de o ser por decisão interiorizada ,livre e responsável .
Abusos tanto maiores quanto o meio social perde a capacidade de “indignação” - colectiva ou individual- e se acomoda à demagogia que pela via mediática recria “o milagre dos pães”
O Populista local –ou do poder central - é sempre e por norma ,um péssimo governante .Vem quase sempre de uma inaptidão para uma afirmação pessoal , pela via do exercicio válido da sua actividade profissional e tem ,por clara meta ,a (sua ) afirmação por via da verborreia fácil ,oca , inconsciente e demagógica , vomitada sobre um campo seleccionado que lhe dá as palmas ( e os votos). Fundamentalmente, procura incutir a “ideia” que governa bem ,mesmo quando é evidente que não governa ...só manda...o que são coisas bem distintas...

Alcançado o “poder” que lhe parece não ter limites , infinito , renega a postura democrática da duvida , pois quer parecer sempre diferente , senhor dum designio , maior que tudo o que lhe é anterior e maior do que aquilo que há - de vir.
A verdade ,o “facto “, nasce consigo ,por tudo e por nada que o justifique , fazendo-o aparecer sempre como consequência acertada daa escolha dos votos que “comprou”.

“Comprou” como?...

Quase sempre pelo uso indevido dos meios –não pagos por si ,mas locupletados ao erário publico- fazendo-se acompanhar pelas marionetas que o rodeiam e lhe outorgam vassalagem , ávidas das migalhas que vão caindo . Exercita-se numa tarefa de "corrupção intelectual" e "chantagem" dos pequenos centros do poder a vários níveis -a todos!- , usando-os para exclusiva satisfação dos seus objectivos .Cria o clientelismo :- faz a distribuição de favores por troca de favores;

Sustenta um constante e permanente endeusamento da sua figura ,golpeando os receptores com a estampa continuada da sua figura , da sua voz ou da sua pose ,hoje ontem e amanhã ,ao meio dia , á tarde e á noite .Cria orgãos de propaganda ,financia com erário que não lhe pertence o endeusamento da sua majestática figura , colando- a a todos os actos ,do banho matinal ao lavar dos pés antes do sono que julga , lhe vai proporcionar o sonho desejado ,obsessivo ,de se ver voando sobre “ ninhos de cuco” .

O POPULISTA bacoco ,”contenta-se na efémera glória de conduzir o rebanho de obediências passivas que a balir em uníssono, simulam aquele aplauso que nem o poder mais arbitrário dispensa como aval da sua legitimidade” (TORGA)

Bombardeia, intoxica “ o alvo” - o pagode ! - com opinativas e decisórias sentenças –definitivas , absolutas , não passíveis de recurso pela razão , utilizando para tal todos os meios –lícitos e ou ilícitos- num marketing destinado a criar a ideia de ser ele e só ele, a génese , o principio o meio e o fim , de toda a estrutura (?!) donde emana o sémen da criação . A estrutura claro ,é ele e só ele....Vazia..
Esta deixa de ser uma pirâmide para ser uma teia de círculos concêntricos rodeando o rei Sol que paira sobre o universo dos planetas sem luz que o topam ,mas se submetem amórficamente , invertebradamente à sua lei gravitacional

Leva por norma o cacique populista algum tempo a ser realmente desmascarado.
Só então cai.
Mas por onde passa fica o vazio, o desastre, o escremento da sua ambição

Portugal está neste período da sua história , pejado de figuras patéticas deste tipo...


A TERRA DA LAMPADA tem um exemplo de proa desta definição :um deplorável exemplo da influição perniciosa da política na inteligência dos ilhavos.


ALADINO