quarta-feira, novembro 17, 2004

DE FIDALGOS AO PENICO...




Antigamente éramos OS FIDALGOTES ...




Documento que se admite ser do inicio do Século XIX ,cognomina com especial acuidade e de uma forma jocosa -e algo delirante -,os povos desta região lagunar , e justifica –os , como se segue:


PANELEIROS os de ARADA- por que oriundos do Mulelos onde se fabrica louça negra(....)

JUDEUS os de VERDEMILHO- por eventualmente lá ter havido uma casa de sinagoga dos cristão novos... ICHADOS da COUTADA- por serem povos sem nome ,coutados...

LAVRADORES os de DE ALQUEIDÃO--... homens que casaram com as mulheres da ermida, muito inclinados á lavoura...
BÊBADOS os de SOZA – ...descendentes dos tais da pedricosa , passaram ao cabedelo onde se compunham as naus...descendentes dos saramagos foram muito perseguidos ...e para não sentirem a morte começaram a embriegar-se...
ESPANTADOS os da PEDRICOSA -...porque quando Afonso Henriques expulsou os mouros ,eles que o eram ,filhos de Saramagos ,ficaram tão aterrados e espavoridos.. que daí lhes veio a alcunha
LADRÔES os de VAGOS-... porque ditos descendentes dos fenícios que entraram e destruíram e pilharam todas as cidades egipicias –tinham fama de ladrões ...designação legada aos descendentes que teriam ocupado Vagos.

BUILHAS os de AVEIRO-.. porque provenientes dos povos de Águeda costumavam (as mulheres )trazer um capoteiro de bicos e por isso se chamaram BAITILH AS (baertilhas)de Aveiro.
Resumidamente colocámos em transcrição apenas o justificativo (?) da originalidade dos cognomes (com a ortografia actual) .Muito mais interessante , compreender-se-à , é ler todo o documento, recuperado em 1919 por Rocha Madail.


Mas a parte que nos interessa ,aqui e agora destacar, é o cognome dos

FIDALGOTES os de ÍLHAVO....
...Porque desde sempre foram povos muito aperaltados e hoje mesmo se vê no luxo dos seus progenitores (lá se diz)

E continua:

Havia só duas Classes de famílias: os lavradores e os pescadores , foram sempre muito “zelos” pelas famílias o que se viu na fundação da vila em 1500 e tantos. Esta fundação de Ílhavo –diz-nos o autor do documento -começou
(.....)onde hoje estão os palheiros junto à ria , (no local) chamado vulgarmente BARREIRO, e a sua primeira rua é a que vem dos palheiros para a Igreja Matriz ,e por isso se chama rua Nova ,e o estarem em ,ou ser o seu principio nas margens da ria e os palheiros, os “coriozos” poderão ir afirmar-se na abertura que fizeram para a ponte (Juncal Ancho ), e ai aparecem vestígios de casas antiquissimas
(.......)

A segunda rua –diz-nos o autor desconhecido - foi no curtido do Arnal,
Já a de Espinheiro ...”é muito” moderna”.... onde havia no OITÃO muitos espinheiros, dai o seu nome..


È sem duvida marcante este reconhecimento á época, do singular perfil dos ilhavos ,distinguindo-os pelo porte majes toso ,pelo carácter de “fidalgo” ,colocando com alguma extensão o rótulo, tanto ao povo pescador como ao lavrador do cimo da Vila.
Seriam as suas origens idênticas ? Penso que não..

Alqueidão
era então um lugar próprio , como no foral de D Manuel é ainda referenciado:- «alquidã»... « a portagem era antigamente dos ditos concelhos da vila de milho (verdemilho) e alqueidão»
Donde se pensa crer que a Vila de Ìlhavo , propriamente ,situar-se –ia onde hoje se chama o Cimo da Vila...

IN ILLORE TEMPORE ... éramos os FIDALGOTES ....

E hoje o que somos ? ...E para onde vamos ?

...


ALADINO