domingo, março 04, 2007

CHRISTIANNIA…OUTRA VEZ.




Os recentes distúrbios verificados em Copenhague e mostrados à saciedade em todos os canais de Televisão - nacionais e estrangeiros -,mostraram como é difícil num estado democrático ,dar soluções adequadas a perturbações criadas por grupos extremistas .Por uma juventude desinserida , desvalida e perturbada ,e com um aprofundado apreço pela violência urbana (a única coisa a que têm, acesso diário).

Estes acontecimentos , lembraram-me o meu interesse por apreciar a célebre CHRISTIANIA- a cidade maldita! - um «bunker hippie» autorizado a instalar-se numa enorme propriedade no centro de Copenhague, quando há cerca de quarenta anos, e apesar de avisado do risco que correria se lá penetrasse ,tê-la visitado em pormenor em companhia de amigo por mim desafiado para partilhar o risco, aquando numa das muitas visitas, então feitas à Dinamarca .
Tentei,assim , perceber se aquilo tinha algo que desse para entender.
Era uma «cidade sem Lei », em que uma grande comunidade , mais do que vivendo em total liberdade ,vivia em total libertinagem .Tudo o que lá dentro sucedesse –lia-se esse aviso logo à entrada – não merecia qualquer tipo de intervenção exterior .Quem entrasse, penetrava num mundo sórdido ,onde o mais chocante era a miséria humana ,a degradação de corpos abandonados , maltrapilhos parecendo apenas sobreviver, por sobreviver .Grupos completamente pedrados , life- shows por tudo quanto era lado ,salas de chuto ao dispor ,bares com música louca dos anos sessenta, onde grupos se embebedavam até cair no chão, sem que ninguém se apoquentasse com isso, ou, interviesse .
Era preciso passar o mais possível despercebido .
Foi o aviso que mais intensamente me foi feito .O que era difícil .E o que mais me custou ,foi ter de beber uma cerveja num emporcalhado bar ,onde, julgo, tudo era compartilhado sem qualquer tipo de higiene ,num ambiente nauseabundo onde a droga ,de todo o tipo circulava, abundantemente .Livremente em completa impunidade.

Essa noite ,depois de regressado á civilização –julgava eu !- teria ainda outros episódios que se agora me regressam à memória por causa destes distúrbios verificados bem perto daquele local - que eu supunha já teria desaparecido - faz –me pensar como naquele tempo a minha ansiedade por observar tudo ,era demasiada, tendo ,nessa e em outras ocasiões ,cometido autênticas loucuras . Mas tudo valeu a pena ,porque me deu com antecipação uma noção muito precisa do que era a sociedade de consumo - então a começar a se afirmar – o flagelo da saída prematura dos jovens da casa paterna , a falta de objectivos da geração que crescia sozinha sem uma estrutura mental equilibrada, e sem outras escolhas que não a alienação ou a fuga. Claro que a Suécia ia já muito à frente , percebendo-se já que o modelo social estava errado ,o que a fez voltar atrás e reformular conceitos, mais tarde. Hoje, há uma clara recuperação desta sociedade que depois de bater no fundo , parece reencontrada

Foram essas loucas experiências que vivi ,que me encheram a vida de coisas boas e outras tantas más ,cujos ensinamento me foram fundamentais .Uns e outros .Vi a vida de todos os modos e de todas as maneiras .

Sempre, no muito que viajei ,dei especial primazia a conhecer muito mais a realidade da sociedade ,as gentes , do que apreciar o que vinha nas fotografias .

Poderia a Europa ser um dia unida ? Interessava-me perceber por mim … .

Unida para o bem e para o mal , porque ainda agora se verificou a intromissão de desordeiros vindos de muitos lados ,tal a facilidade de movimentos de pessoas ,hoje possível .

Lembro-me de quando aqui cheguei ninguém ter parecido acreditar que uma Chistiannia – uma sociedade sem opressão de todo e qualquer tipo ,o lugar mais livre de todo o mundo –dizia-se !- existia de facto.

Existia ! Mas porquê e para quê?! --foi a conclusão a que cheguei

Aladino
.

quinta-feira, março 01, 2007

FUTURO


A viver,
Desiludido
Vou porfiando nesta terra,
Centro do meu mundo,
À espera que amanheça
O futuro.


Ser assim .
Inquieto,
Mais que tudo
Mistério intenso e profundo.
Na ânsia que apareça


Força ,
Vontade,
Espírito
Que derrube a indiferença
E o muro,
Deixando ousar
O futuro


A ousar ,ousando ,
A construir ,construindo ,
A Amar, amando.

S.F

01-03-2007

terça-feira, fevereiro 27, 2007


TERRRA DA LÂMPADA

O CÁLICE AMARGO DO QUOTIDIANO …



Tempo triste, sem aquecer a alma; capaz de desalentar «um» ainda «quase vivo».


A pasmaceira onde vamos, dia a dia ,exaurindo o tempo que nos resta, continua .Na mesma .Chata. Não se vive. Deambula-se nos dias, por entre as veredas de num verdadeiro cemitério de tristezas . O mundo absurdo em que mergulhámos, desacredita-nos e denuncia-nos.

Desacredita-nos como comunidade de direitos. Denuncia-nos como rebanho resignado sem a mais ténue intenção de disponibilidade para mudar. Não ensaiamos, sequer, um passo para além de um quotidiano sem esperança.

Já nos não seduz, e muito menos, inquieta, a aventura .Já nos não desafiam as lonjuras; e já nem damos que nos tenham «calçado» o cabresto.

O comodismo, corrói-nos; dantes agarrava-mo –nos ao desespero de querer ser ; hoje agarramo-nos com unhas e dentes, a não querer ser, de maneira nenhuma .

Vencido, mas não convencido, largo uma guerra e preparo-me logo para outra.
Alimento-me desta inquietação. Se for derrotado a meio da subida da montanha, é lá que fico : nunca cá em baixo a olhar para a montanha, a pensar que a mesma é inacessível. Nem que seja a acalentar a fantasia, quando descorçoo da realidade.

------------------------------------------------------------------------------------------------

E, entretanto o «furúnculo do iletrismo» cresce …cresce …medonho …qual esfacelo putredínio .Pintada da antiga «pomada preta» que se fazia nas boticas para as pústulas, talvez rebentasse
------------------------------------------------------------------------------------------------

Ouvi há pouco que uma Câmara do interior subsidia os medicamentos dos idosos .

Afinal o mundo não é tão mal como imagino.

Aqui (T.L.), ao contrário, subsidiam –se ..coisas inúteis. Parvas. Espectáculos menores e degradantes.

Socialmente a Câmara é um zero absoluto. Do tamanho do raio da terra !

Para lá da edificação de abortos arquitectónicos,não lhe sobra uma única ideia do que deveria –e poderia - ser uma Câmara interventora ,dinâmica, útil .Com rosto; e não com esgares imbecis.

Não consigo vislumbrar nada para lá desse interessado conluio com o despesismo tolo ;não vislumbro ideia que a valha ,intenção que a justifique ,preocupação que aglutine .Tudo o que poderia ser acção ,resume-se a prática de mestre de obras do urbano. E mesmo aqui, desastrado na acção e intenção.

O mundo social que estes indivíduos entendem, é um esgoto da sociedade em que afirmam viver .É a construção de um mundo sem folhas, desagasalhado .

Capaz de destruir em cada um de nós alguma esperança que ainda sobre!

ALADINO

sábado, fevereiro 17, 2007

DISFORME …MONSTRUOSO…INSULTUOSO


O CENTRO MUNICIPAL DA ILETRACIA



A Lei do aborto não virá a tempo, de safar Ílhavo daquela má formação ,que lenta, mas inexoravelmente –embora dificilmente – vai tomando forma .


E , desproporcionado e disforme ,o casarão cria vertigens e até destravamento da língua, na adequada classificação de tão inestética gaiola fechada, que envolve o Salão da Cultura ,sarcófago faraónico ,transladado das margens do Nilo , e ali depositado ao «rio da vila» para conter os restos mortais «da que já foi … mas já se finou » .

E cresce …e cresce …medonho, o furúnculo . E lá se vão os anéis, e se calhar os dedos …em tão abcesso purulento ,verdadeiro hino de exibição da mais tonta e impúdica megalomania ,uma falta de respeito pelas necessidades reais das gentes ,um insultuoso incesto na «mãe cultura» .Pobrezinha .Ao que chegou para justificar tamanho desvario .


Os antigos um dia descobriram o vidro com a alta função de iluminar o interior das suas casas .Um prometedor esteta do lápis ,descobriu, aqui em Ílhavo, no dito «Centro da Iletracia Municipal» , um seu outro uso : para ocultação –de dia e de noite -das telas negras do isolamento e, assim, nada se ver : nem de dentro para fora ,nem de fora para dentro .Inteligente este artista do abstracto : de facto se nada há de digno para se ver lá dentro ,para quê deixar o vidro ver o «rei em pelote».Haja decoro, pensou ?!.Assim, mira-se a «tela» e nada se vê, nem se percebe .
Diz-se até que o primeiro filme que irá ser exibido será o «Preto e Branco» .Sim aquela obra genial que passa duas horas a exibir uma imagem a preta e branco, que nada contém .Nada, é uma forma de dizer .Pois contém tudo o que quisermos que contenha .Genial .


Ps – Lembro ao futurista criador um pormenor que certamente esqueceu . A Chaminé necessária no palco para lá se realizar aquele que é um dos momentos mais altos da agenda cultura ilhavense : a OPV do CHIO- PÓ-PÓ ,( churrasco do porco) ponto alto, com subsidio garantido pela culta Câmara .


ALADINO

terça-feira, fevereiro 13, 2007

O Blog continuará ….


Com a feitura da página ,no endrereço « senosfonseca.com» , a qual dá acesso directo ao Blog ,o que facilita a vida a quem o pretenda consultar ,há que reformular conteúdos .


Assim, penso de futuro aligeirar os conteúdos do Blog .Sintetizar mais .
Remetendo para a página,os trabalhos de maior fôlego .

Por outro lado, sendo a página mais virada para o histórico ,o Blog deverá centrar-se ,mais especificamente , no presente .No dia a dia…

Continuará, contudo, a ser um pouco intimista .

E sarcástico ,quando necessário e ou conveniente .


Aladino continuará, pois, a ajudar a descobrir a Lâmpada do Futuro .

Aladino

domingo, fevereiro 11, 2007

PARABÉNS À MULHER …




UF!...UF!- saiu-me de cima um pesadelo .

Cheguei a temer que o povo Português desta vez, me tivesse desiludido .

É certo que penso que poderia ser melhor e mais categórico.Foi só e apenas SERENO .

Mas houve momento em que cheguei a recolher a garrafa de champanhe que tinha destinada para beber á saúde da mulher portuguesa .Um susto !


Respondo e penalizo-me por desta vez –e foi a primeira! - ter participado (?!) apenas e só ,como espectador .Poderia explicar o porquê .Pouco isso interessa :

Embriago-me por este ganho de alforria da mulher .Hoje foi um momento histórico CIVILIZACIONAL .Não duvidemos .

E como todos os ganhos ,implicando futuras e acrescidas responsabilidades .
De todos …

ALADINO

sábado, fevereiro 10, 2007

SÓ E APENAS… COMPREENSÃO .





As ultimas horas que antecedem o referendo têm sido vergonhosas .E perigosas ..

Emocionalmente têm-se trazido á baila as mais incríveis e desinformativas prédicas, apoiadas num falso catolicismo , utilizando a fé - e não a consciência - de um modo abominável.Confrontando-se com um problema da sociedade ,pessoal ,intimo.

O SIM …é ao afirmação de libertação .Será uma questão - talvez !- de se saber usar a libertação .Lá se irá.

O NÃO é hipócrita .À ultima hora tenta ser um NÃO -SII… MMM !.
Isto é: sempre acto criminoso .
Mas, se confessado, perdoado.

A liberdade não se oferece .Conquista-se !

Não precisamos de misericórdia ..mas SIM de compreensão.

ALADINO